EXAMES

O Instituto de Olhos de Curvelo oferece os exames mais avançados do mundo em diagnóstico oftalmológico. Os aparelhos são de última geração e representam as mais novas tecnologias disponíveis tanto a nacional quanto internacionalmente. 

Confira abaixo mais informações sobre cada um desses exames.

PAQUIMETRIA

A Paquimetria é um exame que possibilita avaliar a espessura da córnea. Saber essa medida é importante para tratamento em pacientes com glaucoma ou candidatos a cirurgia refrativa e cirurgia de catarata.

ECOBIOMETRIA

Ecobiometria é um exame que possibilita calcular o grau da lente a ser colocada dentro do olho nos casos de cirurgia de catarata. Saber qual o melhor grau da lente intraocular permite que o paciente tenha uma melhor visão após a cirurgia.

Este exame também consegue medir o comprimento do olho, o que é importante no diagnóstico de alterações no tamanho ocular.

TOPOGRAFIA DE CÓRNEA

A topografia da córnea, também conhecida como videoceratografia computadorizada, é uma técnica utilizada para avaliar a curvatura anterior e o formado da córnea. Para isso é utilizado um aparelho especial chamado topógrafo.

O exame permite o diagnóstico e tratamento de uma série de doenças corneanas como astigmatismo e ceratocone, além de ajudar a avaliar se o paciente é bom candidato para a cirurgia refrativa (para deixar de usar óculos).

GONIOSCOPIA

É um exame que avalia o ângulo da câmara anterior, que é a parte do olho entre a córnea e a íris (parte transparente e colorida na frente do olho). Este exame ajuda no diagnóstico de glaucoma e outras alterações oculares.

O exame pode ser feito com pupilas dilatadas ou não, dependendo do que o médico quer examinar. Os olhos são anestesiados com colírio e uma lente especial de contato é colocada pelo médico para realizar o exame, que dura alguns minutos.

No caso do glaucoma o exame permite verificar se o ângulo é aberto ou fechado e se há alterações como vasos anômalos na iris.

CAMPO VISUAL COMPUTADORIZADO

Campimetria Computadorizada tem a função de detectar e quantificar anormalidades no campo visual, causadas, principalmente, por doenças na retina, neurológicas ou glaucoma.

É indicada para acompanhamento de pacientes com neuropatias, glaucoma, alterações na retina e que realizaram plástica ocular.

RETINOGRAFIA

A Retinografia registra, por meio de fotografias em alta resolução, o fundo do olho (retina, nervo óptico, mácula, vasos).

É direcionada para acompanhamento de doenças vítreorretinianas, glaucoma e doenças do nervo óptico.

CURVA DIÁRIA DE PRESSÃO OCULAR

Exame que consiste na medição da pressão intraocular em diferentes horários ao longo do dia. Permite o traçado de um gráfico com os períodos da maior e da menor medida, orientando assim os horários da prescrição medicamentosa. Esse exame é necessário tanto para o diagnóstico, quanto para o monitoramento de pacientes com glaucoma, uma vez que a pressão intraocular sofre oscilações nas 24 horas do dia.

MAPEAMENTO DE RETINA

Consiste no exame da retina, incluindo sua periferia. Difere da fundoscopia por permitir a avaliação da maior área da retina com visão binocular estereoscópica, oferecendo melhor a ideia de conjunto e relevo das lesões. Permite a avaliação da periferia retiniana, nervo óptico e vítreo.

É possível diagnosticar ou avaliar a evolução de doenças sistêmicas como diabetes e hipertensão arterial. Avalia em que condição se encontra a retina em diversas patologias e indicações cirúrgicas.

OFTALMOLOGIA GERAL

_MG_1371.jpg

A Oftalmologia é uma das especialidades da Medicina que investiga e trata as doenças relacionadas com a visão e com os olhos e seus anexos. Esta especialidade médica se dedica ao estudo e tratamento das doenças e erros de refração apresentados pelo olho.

Assim como outras especialidades, a Oftalmologia tem várias subespecialidades, entre elas: plástica ocular, doenças orbitárias, doenças das vias lacrimais, o estrabismo, o glaucoma, a cirurgia refrativa, retina, oftalmopediatria, etc.

O Oftalmologista é o médico que estuda, diagnostica e trata doenças do sistema visual, realiza cirurgias, prescreve tratamentos e correções para os distúrbios de visão. Esse profissional é capacitado para o tratamento médico e cirúrgico de todas as doenças oculares.

No Brasil, por lei, apenas o médico Oftalmologista pode cuidar da visão. Exames periódicos podem evitar até 70% dos casos de cegueira e a correção de pequenas perdas visuais pode evitar muitos e graves problemas no futuro.

CATARATA 

WhatsApp Image 2019-04-23 at 21.50.10.jp

O que é?

A catarata é a opacificação do cristalino, o que resulta na diminuição progressiva da visão, e pode levar à cegueira.  Na maioria das vezes, a doença decorre do processo natural de envelhecimento, afetando, principalmente, pessoas com mais de 50 anos.

Entretanto, fatores como hereditariedade, traumas oculares, diabetes e uso de corticoides também podem fazer com que o paciente desenvolva a doença.

A catarata está entre as principais causas de cegueira do mundo, porém,

é reversível por meio de cirurgia.

SINTOMAS 

Os sintomas mais comuns são embaçamento da visão, ofuscamento pela luz do sol e farol de carro, e dificuldade de enxergar, aumentando com pouco ou excesso de luz.

TIPOS

Congênita: é a opacidade do cristalino desde o nascimento. Acontece quando a mãe tem alguma doença que atinge o feto durante a gravidez.

Senil:  é a mais comum. Ocorre pelo processo natural de envelhecimento, normalmente, a partir dos 50 anos.

Traumática:  é provocada por acidentes que lesionam o olho ou pelo uso prolongado e excessivo de corticoide (via oral, nasal ou colírio).

 

Tratamento: Após a detecção, realizada na consulta com um oftalmologista, o único tratamento para a catarata é a cirurgia. Não existem colírios ou óculos capazes de solucioná-la. Entenda como é realizada a Cirurgia de Catarata.

DICAS DA IOC
 

  • Evite o uso de colírios corticoides sem o acompanhamento do oftalmologista;

  • Controle o diabetes.

  • Recém-nascidos devem ser examinados por um oftalmologista (teste do olhinho) para verificar a presença de catarata, visando evitar que o desenvolvimento da visão seja afetado.

TESTE DE LENTES DE CONTATO

1487995956-lentes-de-contato.jpg

As lentes de contato são posicionadas sobre a córnea, e para que alcancem o seu objetivo sem causar riscos para a integridade do olho, precisam ser adaptadas pelo oftalmologista, que escolherá o melhor material e os parâmetros adequados para cada paciente.

As lentes são utilizadas principalmente para a correção dos diferentes tipos de grau

(miopia, astigmatismo, hipermetropia, e presbiopia), podendo também ter finalidade estética (lentes coloridas), e terapêuticas para algumas doenças da córnea.

No exame oftalmológico avalia-se as condições para o uso das lentes de contato. Alguns pacientes têm características que impedem o uso, enquanto outros precisam tratar certas condições que dificultam a adaptação (alergia, blefarite) antes de iniciar o teste com as lentes.

GLAUCOMA

Catarata-ja-existe-tratamento-com-coliri

O que é Glaucoma?

Glaucoma constitui um grupo de enfermidades, que possuem certas características em comum, como escavação e atrofia do nervo óptico, com perda de campo visual e pressão intraocular elevada. A perda progressiva de fibras nervosas do nervo óptico leva a uma perda gradativa  irreversível da visão.

Quais fatores de risco?

O glaucoma pode afetar a todos, porém, aqueles que possuem uma ou mais das características descritas a seguir apresentarão maior risco de desenvolver a doença:

  • Pressão intraocular elevada;

  • Histórico familiar de glaucoma;

  • Idade acima de 40 anos;

  • Tratamento com esteroides;

  • Altos graus de miopia;

  • Hipertensos;

  • Diabéticos;

  • Afro – descendentes.

Quais são os sintomas?

O glaucoma mais frequente, é o ângulo aberto, assintomático em sua fase inicial. Algum tempo depois de instalada a doença, seu portador começa a experimentar uma redução do campo visual, que pode levar à perda completa da visão. Nos casos avançados, o paciente movimenta mais os olhos e a cabeça para compensar a redução de seu campo visual.

Assim, ele faz uma varredura das imagens ao seu redor, o que facilita sua locomoção e o reconhecimento de objetos e pessoas. Como é uma doença crônica, ao utilizar-se deste artifício, ele não percebe a gravidade de seu comprometimento visual.

Quais opções de tratamento?

O tratamento do glaucoma baseia-se exclusivamente em reduzir a pressão ocular. A pressão intraocular embora não seja o único parâmetro para diagnóstico do glaucoma, é de vital importância para evitar a progressão da doença.

O tratamento inicial do glaucoma e que em muitos casos pode ser mantido por toda a vida do paciente é feito através do uso de colírios.

A pressão ocular ideal varia de indivíduo para indivíduo, por isso a avaliação deve ser feita pelo seu oftalmologista.

Existem diversas classes de colírios hipotensores oculares e o médico saberá para cada caso, qual a melhor ou as melhores opções de tratamento.

Nos casos em que o médico considerar o tratamento clínico com colírios insuficiente para o controle da doença, poderá lançar mão do laser ou da cirurgia filtrante.

O glaucoma apresenta muitas variáveis individuais, de modo que cabe sempre ao médico oftalmologista decidir qual a melhor forma de tratamento para cada paciente.

VOCÊ SABIA QUE É POSSÍVEL

REALIZAR UM AGENDAMENTO ONLINE?